quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Círculo aconchegante

Ouvi algumas vezes, em algumas palestras e publicações sobre motivação ou liderança, uma expressão: zona de conforto. Na maioria das vezes o que se diz sobre ela se resume a: saia já disso. Fiquei pensando que esse pode ser o mal que me acomete no momento. Digo isso porque a tal zona de conforto é tão quentinha e gostosa de permanecer...

Tem gente que não gosta de mudança. É metódico, pé-no-chão, apegado, chama do que quiser. Já percebi que me falta um pouco dessa acomodação na vida. Que perfeito seria se eu gostasse de fazer todos os dias a mesma coisa, falar as mesmas coisas e com as mesmas pessoas, dominar algumas tarefas profissionais simplesmente por fazer todo dia igual e roboticamente. Seria bem bacana ser um pouco robô.

Já ví que até agora, não deu. Sempre mudei quando percebi que chegava o momento da estagnação, emocional, profissional ou as duas juntas (mesmo porquê não se separa pessoal do profissional, é a mesma vida, certo?).

A única coisa, que talvez seja o lance que vicia nessa tal saída da zona de conforto - não me pergunte a razão - é a exposição, o chute pra fora do mundo que se leva, muitas vezes não é fácil passar vergonha, se abrir, admitir o que falta, mesmo sendo tão necessário pra aprender e viver outras coisas que podem agregar muito além dessas pequenas casualidades do começo. Medo, que bosta de sentimento. Será que é necessário em pequenas doses?

A sorte é que tem as pessoas. Bichos que te ajudam a passar por tudo nessa vida e ainda rir. Roboticamente ou não. Que bom, né?

8 Comments:

Thaís SBA said...

Eh na vdd eu nao sou muito chegada a mudanças não, mas as vezes ou vc encara ou vc encara. Engole a seco e enfrenta. Agora to passando por uma fase de mudanã inacreditavelmente brusca que me fez cortar a boca ao mastigar, mas já to conseguindo engolir. E isso vai ser muito bom pra minha vida.
Vida nova!
Ano novo literalmente, em todos os aspectos.

Agora, lembra daquele texto que vc falou que ninguém muda pela gente, apenas se esconde o que é? Ai, ai...como lembrei de vc ontem hahahaha!

Bjos linda!

Rachel said...

Sério? De verdade mesmo? Qual é o problema com mudanças?

Encarando o fato de que nós não temos certeza de que vamos ter outra vida (você lembra da anterior? Na próxima se lembrará dessa? Se sim, me diz como foi!), de que adianta viver essa aqui complatamente estagnada? Deixar de vivenciar experiências, de conhecer novos mundos, com medo de quê?
Não acho que valha muta pena não...

Anônimo said...

gigante o meu medo de mudarm, eu que queria ser mais pra frente, isso ia me garantir mais din din no bolso além de tudo...uahuahauahuahauahauah

déborah capel; said...

Acho que preciso de um pouco desse sentimento de querer mudar.
Em aspectos de onde morar com quem ficar eu gosto de sempre ter o mesmo, não mudar.
Agora no quesito de o que fazer e o que pensar... Eu sou realmente uma metamorfose ambulante.
Tenho medo de mudanças e acho que é esse medo ou essa insegurança que me deixam tão pacata.
Também não sei se quero mudar isso.
Mas esse post foi realmente ótimo, é aquele tipo de texto que a gente lê e depois fica pensando por um bom tempo.
Beijão!

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ said...

é... eu curto mt mudar e não curto mudar ao mesmo tempo
entende?
hauauahua
bejaum... espero que visite meu blog tbm!!

Claudio said...

Seu texto me lembrou de um livro. Quem mexeu no meu queijo?
Fala sobre mudanças e as formas como cada pessoa reage a elas.
Mudança sempre assusta. Mas alguns fazem deste susto motivação. Outras acomodação. Mas a mudança sempre chega. Alguma hora ela chega.
Kisses...

http://oucabem.zip.net

Thaty said...

Eu até que gosto de mudanças. Faz bem respirar um novo ar, uma nova expectativa.
:D

O que seria de nós sem a mudança/junção de blogs? hohoh

Beijos, Tha!

Anônimo said...

Thaaaa

Como sempre vc está escrevendo cada vez melhor, parabéns.

Realmente a mudança nos inspira e nos faz viver cada vez melhor e tentar buscar novos desafios e descobertas que a vida tem a nos oferecer.

Parabéns por ser o que você sempre foi! Isso realmente e felizmente não mudou...rs só melhorou.. Uma mulher feliz, amiga, digna e verdadeira.

Muitas vezes me relutova as mudanças, tanto que mudava tudo e os outros para me sentir bem. Felizmente hoje reconheço isso (e sou mais feliz, pois acredito que as mudanças, por pior ou melhor que seja, sempre vamos aprender alguma coisa e consequentemente fazer nos conhecer melhor!

Te adimiro Amaaaa

bjs

Telmichas SA´s forever