sexta-feira, 27 de março de 2009

Não faço questão.

Não faço questão de gente chata na minha vida. Não faço questão.

O tempo nos ajuda a peneirar algumas coisas e da minha agenda no celular, falo com poucos. No meu orkut, de poucos faço questão e no MSN, quantas vezes já entrei invisível pra ninguém vir me encher o saco com suas observações idiotas ou com suas brincadeiras que precisam de muito, de muito esforço mesmo até para fingir que se achou graça. Poucos ficaram. Pouquíssimos. E tem alguns que ainda cismam em ficar mesmo quando você deixa claro que não os quer mais em sua vida.

E ainda indiretamente buscam satisfações. E tem gente pra quem a gente não deve a mínima.

Não que eu seja uma maníaca deprimida, mas já não tenho mais saco para agir como uma pessoa super sociável. Embora eu saiba que eu sou super sociável. Aliás, embora eu saiba que eu sou uma pessoa super sociável quando eu estou muito afim de ser uma pessoa super sociável. Hoje entrei no MSN e uma amiga minha da época em que eu fazia faculdade de teatro veio falar comigo.

Eu não falava com ela acho que desde Setembro de 2008, o que prova que realmente nós não somos super amigas. Sabe quando você gosta da pessoa mas sabe que é inviável uma convivência? Por zilhões de motivos.

Pois ela me apareceu no MSN e viu minha foto com meu namorado, onde nós estamos com o rosto bem junto.

Ela me solta essa:

-Nossa, por um minuto achei que fosse você com outra menina! E eu acharia ótimo se fosse!

-Como assim? Porque a foto ia parecer melhor se eu tivesse com uma menina?

-Ah, porque significa que você estaria vivendo novas experiências.

Ps: Antes de qualquer piada quero deixar claro que o cabelo do meu namorado é comprido então de lado, olhando de relance, poderia até parecer uma mulher, mas não sei como ela não notou a barba dele ¬¬

Mas vamos lá...pausa para reflexões.

Primeiramente, coisa de ator. Coisa de ator ter que provar a todo custo sua ausência de preconceito e sua mente super aberta e descolada. Eu quis dizer, a qualquer custo, mesmo quando você não pergunta nada a eles.

Na verdade estou tentando buscar palavras para o que dizer. Eu já tenho históricos de divergências com ela porque na época em que fazíamos teatro, tínhamos que interpretar duas mulheres chapadas porque tomavam muitos remédios, e para aprender como falar mole, ela queria saber como era dar um tapa na maconha.

Em outra ocasião me contou que havia se drogado numa rodinha de amigos na praia e jurou ter sentido um amor incondicional pela humanidade naquele momento e teve um sentimento de plenitude que lhe dizia que a vida era bela e que as pessoas eram suas irmãs.

Na verdade eu não sei como alguém pode sentir amor incondicional pela humanidade se drogando. Pois se fosse assim toda a galera do tráfico distribuiria balas Dimbinho para as pessoas em vez de tiros. Bom, mas após minhas incontáveis chacotas, decidiu não me contar mais muitas coisas. E porque ela realmente havia me convencido de que não ia tomar no cú só porque eu havia mandado milhões de vezes. E além disso eu não preciso fumar maconha ou qualquer outra erva de merda para que eu tenha consciência de que é preciso respeitar os outros. Mas ta aí...eu não preciso, mas para outras pessoas parece ser fundamental usar essa muleta para enxergar certas coisas, sentir outras coisas e se livrar dos sentimento de mais outras tantas.

Olha só, eu não tenho preconceitos contra gays e sapatas, querem dar o cú e lamber uma lasanha melada o problema é de cada um, e se você está feliz com isso, seja feliz com isso, mas eu não preciso fazer comentários idiotas para provar sempre a todos que eu tenho a mente super aberta e sou super descolada. E essas pessoas são engraçadas no fim das contas, porque tudo elas acham que são parte de "novas experiências", tipo, até você bater uma bolacha com a sua amiga e tal, beleza, como eu disse, problema seu, mas existem algumas coisas que beiram a falta de escrúpulos. Bom, pelo menos há um lado bom nisso, se um dia eu quiser fazer um Menage à Trois com meu namorado e o dálmata da vizinha, ela não vai me criticar, muito pelo contrário, vai achar excelente essa minha nova experiência.

Dar a bunda pra um cara ou fazer sexo com uma mulher não é questão de "nova experiência", é questão de que você quis fazer isso e fez, assim como querer comer um chokito às 3 da tarde. O que tem de absurdo se você quis fazer? Não preciso provar que não tenho preconceitos contra isso, mas parece que grande porcentagem da população tem! Eu posso não gostar de xana, posso não gostar de chokito...e não vou desprezar quem faz isso. Tipo, é simples!

A questão é que eu dei uma broxada animal e pensei: Acabou aqui. Sem mais palhaçadas de forjar amizades com pessoas que não tem absolutamente nada na cabeça e apenas são legais e risonhas. Mas sinceramente, cansei dessa encenação em torno de pessoas super engraçadas, super risonhas e que tem uma super cabeça cheia de nada, mas que forjam conteúdo através do óbvio e o encenam como se tivessem descoberto a América.

Fico impressionada de ver como as pessoas nesse mundo estão cada vez mais presas a conceitos e contraditoriamente tentam mostrar que não estão presas a conceito algum, como por exemplo a minha querida "amiga" que torceu para eu estar com uma mulher na foto em vez de meu namorado.

Eu não sei se consegui passar aqui o tamanho da falta de nexo de tal acontecimento. É a mesma coisa que seu irmão colocar uma foto com o amigo dele no orkut e algum metido à livre-arbítrio comentar assim: Nossa, que legal. Você já deu a bunda pra esse seu amigo? Porque se você desse, seria super legal. Seria sinal de que você está vivendo novas experiências! Saca? Tipo...Saca?

São pessoas que fazem questão de ter amizades com grupinhos polêmicos da sociedade só para se mostrarem "com consciência social" e passarem uma falsa impressão de liberdade.

E sinceramente, pra mim esse é ainda o maior preconceito, porque elas próprias não vêem essas pessoas como pessoas normais, pois se as considerassem pessoas normais, não se utilizariam delas para se "promoverem" isentas de preconceitos e de "não devo nada pra ninguém". Eu já andei muito em meio a pessoas que se julgavam inteligentes, descoladas, isentas de preconceitos, divertidas e que queriam sempre estar rodeadas de amigos. E eu confesso que tudo o que me faz surpreender nelas é o fato de que não há nada nelas que se faça surpreender.Elas são entediantes e o que as tornam ainda mais insuportáveis: completamente previsíveis.

Que mundo previsível.

Que mundo chato.

E não tem nada que canse tanto do que pessoas previsíveis, que são aquelas que mais se acham imprevisíveis e originais.

Por exemplo, só no orkut o que eu vi de pessoas com o mesmo "slogan", tipo: "O original, recuse imitações!", é brincadeira. Pessoas vendem sua imagem como se fossem havaianas. Viramos todos produtos, e o pior, tudo falsa propaganda, e não podemos nem recorrer ao Procon, porque todos querem se vender, e sempre há quem quer comprar. Como eu disse, até slogan pessoas se colocam. E é exatamente por isso que cada dia mais eu adoro isso tudo: porque a cada dia mais, plantas, animais e pedras me comovem. Porque quanto mais eu conheço as pessoas, mais encantada fico com tudo aquilo que não é humano.

7 Comments:

Tha Basile said...

Que SEM NOÇÃO essa menina, hahaha

Já até fiz um texto sobre esse tipo de "seleção natural" que a gente acaba fazendo...sinal de que estamos velhas mas ao mesmo tempo de que já passou a fase de ter que provar algo pra alguma 'galera'. Ser autêntica RULES.

beijo,flor

Messias said...

Só de ler a primeira frase já sabia que o texto era teu... teus textos têm indentidade própria, seus gritos ecoam durantes horas e horas na cabeça de quem acostumou a ler vc! beijos

The Rocker! said...

Cara,você me poupou o tempo de achar palavras prá expressar isto tudo ae!! Pois é exatamente o que sinto por esta sociedade banal e previsivel em que vivemos e que n/ adiantaria nada eu dizer isto tudo prá alguem dos quais eu convivo;eles n/ iriam entender!! Foi um desabafo?!?Se sim,faça dele o meu tbm!! Muito bom seu blog!!Felicidades!!

Mayalena said...

Florença, ler seus textos... vc sabe né... nem tem o que dizer... realmente, só de bater o olho em uma silaba, já da pra saber que o texto é seu... é sempre um incentivo ler seus textos... e um consolo tb, de ver que não estamos tão sozinhos neste mundo... nós é que somos os "normais", lembra?
Jokas nas salamandra!!

Ane Talita said...

é...

o mundo tá cada dia mais entediante...

esses pseudos-alguma coisa (qualquer coisa) são uns sem noção...¬¬

Thaty said...

cada dia melhoooores!
:D

keka said...

meu, na boa, não sou blogueira nem nada parecido, mas eeu me "super" identifiquei com seu texto, e digo mais, ganheei esses minutos lendo seu texto, não preciseei se quer ter o trabalho de achar palavras que expessassm o que penso sobre o mundo dos robôs em que vvmos, suas palavras foram demais! está de parabéns, bjoos, sucesso aê! ;*