quinta-feira, 12 de março de 2009

De Mim

Mãe e Pai,

Vocês precisam se orgulhar muito de mim.Vocês devem se orgulhar muito de mim porque embora a gente cometa alguns deslizes na vida por não saber muito sobre ela, eu sempre me respeitei, e se me desrespeitei em algum momento ainda carrego as marcas do arrependimento.Vocês devem se orgulhar de mim porque eu jamais traí a confiança de ninguém, seja de um amigo, seja de um namorado, seja de vocês.

Vocês devem se orgulhar de mim porque quanto mais sei das pessoas, menos quero ser como elas. Um dia me disseram que é impossível andar em meios aos porcos e não deixar de se sujar, mas essas pessoas esquecem que existe o outro lado da cerca e que o lado de lá é limpo e transparente. O detalhe é que muitos escolhem não pular para o outro lado da cerca. E outro detalhe é que alguns não se lembram que existem uma cerca.Vocês devem se orgulhar de mim porque eu vi que a cerca exsiste e preferi caminhar do lado de fora.
Eu não sou parte das meninas que traem porque eu prezo mais a minha dignidade do que as sensações que posso ter no meio das pernas.

Eu não sou parte das meninas que expõem seus corpos como se fossem um pedaço de carne em um açougue, eu não sou parte da raça que suja as cidades, que polui o ambiente, eu não sou parte da raça invejosa, da raça suja, da raça que rouba uma bala no supermercado, da raça que se deixa levar, da raça que encena fidelidade ante ao altar e às alianças e dias ou anos depois se atraca com o colega de trabalho porque "todo casamento é igual" e porque tenho que me divertir.

Ainda tento entender por que no conceito de tantos, desonestidade é sinônimo de diversão. Rebaixamento é sinônimo de diversão. Auto destruição é sinônimo de diversão.Eu não sou parte da raça que maltrata os animais e gosta do cheiro do chiqueiro que infecta o nosso dia-a-dia, eu não sou parte da raça que "se diverte".

Eu não gosto do chiqueiro. Eu não gosto do cheiro dos meus colegas de quarto, o quarto chamado Terra.Eu não gosto do cheiro da miséria, da patifaria, da sacanagem, do álcool, do amarelo de cigarro que pinta os dentes.Eu gosto de crianças, eu gosto da natureza, de cachorros e sorrisos, mas não sei se aqui é um bom lugar para se viver embora muita coisa me comova.

O mundo é uma poesia nostálgica, um quadro colorido desbotado, uma avó saudosa que já partiu. O mundo é uma boneca que envelheceu porque não foi usada, um pacote de doce vencido, um guarda-roupa cheirando à mofo às cinco da tarde num quarto onde passa um raio de sol por uma fresta. O mundo é o tic-tac de um relógio velho.
O mundo é o perfume guardado da tia que já morreu.
O mundo é alienação.
Somos todos alienados.
Não me excluo, também sou.
Sempre seremos, por mais que não sejamos.
Mas escolhi andar do outro lado.
Eu assisto de longe o big show coprofágico porque eu escolhi não me alimentar de dejetos.
Vejo participantes clamando por limpeza, mas esperando que alguém os limpe.
Ninguém se dá ao luxo de limpar-se sozinho porque são incapazes. Sujam, vomitam, regorgitam seus restos mas jamais se culpam.

Mas se vocês me perguntarem o que acho dos seres humanos, que evaporam com a mesma rapidez da esperança em um doente terminal, eu vos direi que os amo com todo o meu coração.
O ser humano que é limpo, que compactua com a dor de quem é humano e de quem não é humano. O ser humano que sorri quando não tem motivo para sorrir, o ser humano que é mais humano do que ser. E decolam com suas asas invisíveis em suas mentes voadoras.
Seres humanos são capazes de trazer o mundo inteiro para si sem ao menos terem saído da cidade de onde nasceram.Seres humanos possuem o mundo no peito sem terem levado o peito para nenhum outro lugar.
Porque o ser humano sabe que o mundo é ele. E o ser humano, crendo em seu Deus ou não, sabe no fundo no fundo que o Deus que verdadeiramente existe é ele, e o que ele chama de Deus e que está fora de si, é apenas um modo de se exteriorizar para não se sentir tão só.Assim como o meu reflexo num espelho mas com outra feição, ou um amigo invisível com o meu perfume.

Se você me perguntar o que eu acho dos seres humanos, vou dizer que me orgulho deles e que gosto do cheiro de cada um porque todos eles tem cheiro de renascimento, ainda que nem tenham se dado conta.
Seres humanos renascem todos os dias.
Muitas pessoas que me conheceram me disseram que eu não sei o que quero.
Muitas vezes me abalei porque muitas vezes era verdade.
Mas um dia acordeiE olhei para meu reflexo. E sorri.
Pois bem sei que não importa o caminho que quero trilhar
Desde que eu não me abandone no meio dele.
Pois sabendo quem sou, confio no caminho que vou chegar.
Muitas pessoas sabem bem do que querem
Mas não sabem sobre si mesmas.
Eu posso não saber o que quero
Mas sei muito bem quem eu sou.
Eu não sou uma idiota
E tenho minha consciência tranquila.
Porque sei que no fim da vidaTodos nos resumiremos à matéria decomposta e suja
Mas que pelo menos
Neste dia
A minha alma esteja limpa

5 Comments:

Tha Basile said...

PER FEI TO
:D

Chris said...

Excepcional mesmo!

Uma obra de arte por dia...este deve ser o lema de todos...rs

:)

Thais said...

Eu colocaria esse na lista dos melhores texto da Thais SBA, Amei!!!! Também quero pular a cerca hã hã? sacou? hahaha

Bjo Tha

Milmoya said...

Estava demorando para vir mais um tapa na cara brilhante como esse... :)... Tb estou do outro lado da cerca, mas é meio solitário por lá... ja vi muitas pessoas que conseguiram pular, mas foram puxadas de volta pelo vício dos detritos... e as vezes, porcos que procuram água, acabam sujando um pouco o lado de cá também... e lá vai a gente limpar... Beijos Flor....

Messias said...

Um dos seus melhores realmente! E devo confessar, eu me orgulho de vc!