sábado, 3 de janeiro de 2009

A Menina e o Leão

Era uma vez uma garotinha que andava pelo deserto regando flores.
Sim, mesmo sendo deserto, era um deserto que tinha flores.
Encontrou algumas flores que tinham espinhos, e que a machucavam, mas ela parecia não se importar.
De fato, não se importava, achava aquilo até normal. Estava acostumada. Queria mesmo era regar as flores e replantá-las em vasinhos para enfeitar sua vida. Certa vez viu que um dos cortes feito pelos espinhos de uma flor, começou a inflamar demais a sua mão. Sangrou, fez ferida, ela chorou, mas ainda assim não conseguiu se desvencilhar da flor, por gostar dela demais. Deixou-a lá, e quanto mais sangrava, mais ela tocava na flor, pois pensava não ser culpa dela, afinal, ela havia nascido com aqueles espinhos.

Até que um dia percebeu que aquela flor era viva, e a havia machucado propositalmente, como quem dissesse: "eu não quero enfeitar a sua vida, me deixa em paz, eu não quero enfeitar nada, eu não quero que você cuide de mim. Quero secar e morrer sozinha." Foi quando suas pétalas começaram a cair e a linda flor foi se transformando numa navalha feia e enferrujada. Era apenas um disfarce para que pudesse machucar a garotinha.
Quando ela percebeu, ficou tão triste, mas tão triste, que jurou nunca mais cuidar de flor alguma e nunca mais visitar algum jardim. Saberia muito bem viver sem passear por lugares floridos. Não precisava de flores para saber que a vida é bonita.

Depois daquilo, ainda assim encontrou algumas no caminho, querendo ser cuidadas por ela, mas ela já não se importava e de certa forma estava feliz por ver que seus cortes já não doíam mais. Por mais que gostasse de algumas flores, não se importava em não tê-las por perto, além do que, nenhuma delas era especial o suficiente para que ela a incluísse em sua vida. O tempo foi passando e ela estava feliz, e decidida a nunca mais se dedicar à flor alguma. Foi quando um dia tropeçou em algo no meio do deserto. Algo grande e macio. Agachou, examinou e percebeu que era uma flor diferente. Era uma flor macia! E quando viu aquela flor tão diferente, ficou intrigada.Não queria novamente dar sua vida para cuidar de uma nova flor, mas aquela flor a instigava por ser muito diferente das outras.

Examinou bem aquela espécie e passou os dedos por entre as pétalas esquisitas e jamais vistas antes. Foi quando a flor começou a se mexer e virou sua cabeça para cima revelando um olhar sério e um focinho.A menina deu um pulo e morrendo de medo, ficou encarando aquilo que ela não sabia bem o que era.A flor foi acordando sonolenta e se levantando, mostrando ser na verdade um lindo Leão.Não era uma flor, era um pequeno Leãozinho que adormecia com parte do corpo enterrado nas areias do deserto. E as "pétalas macias" eram apenas a sua juba.


A menina não sabia se corria, se chorava ou se continuava ali admirando aquele Leão tão bonito mas ao mesmo tempo tão bravo aparentemente. Foi quando os olhos do Leão a olharam docemente e todo seu semblante sério desapereceu revelando um sorriso doce e um jeito pidão de quem quer colo.
Tomada pela segurança daquele olhar, aproximou-se e acariciou sua juba, outrora confundida com pétalas, e o Leão derreteu-se tal qual um gatinho que ansiava por um carinho que jamais imaginou ter. A partir daquele dia, a menina e o Leão nunca mais se separaram. Ela cuidava do Leão como quem cuida do que há de mais precioso na vida, e ele a protegia e amava como quem sabe e conhece o amor de verdade.Com suas lambidas, o Leão foi cicatrizando as feridas da garota e em poucos dias sua pele estava tão lisinha que parecia que jamais alguma rosa a havia machucado.

Engraçado como algumas coisas acontecem na vida e como elas nos aparecem de forma inusitada.
Nessa história a garota aprendeu uma lição muito valiosa, embora tenha lhe custado feridas e arranhões.
Aprendeu que existem muitas flores por aí, de diferentes formas e origens, mas todas são flores. Mas Leão que lhe protege, ama e não fere, só existe um, que por sua sorte foi parar bem no meio de seu caminho, e embora ela o entitule "Leãozinho", sabe que ele de "inho" não tem nada, pois é grande o suficiente para ocupar hoje não só seus caminhos...

Mas toda a sua vida...


Para sempre.

5 Comments:

Clarissa said...

BBZUDA!
Q COISA MAIS LINDA! Emocionante de ler.. achei incrivel a forma q vc descreveu toda a historia.. Como eu sei bem dela, pude reconhecer cada metáfora..Adorei! Brilhante!
Aposto que o "Leão" vai adorar ler ^^
Minha escritora favorita, SEMPRE!

=**************************

Fran said...

eu pintaria esse texto de cor de rosa. Como todas as historias de amor de verdade deveriam ser.
Lindo, viu?
bjos.

Thaty said...

ótimo!
ameeeeeeeeeei...

:**

Tha Basile said...

apaixonaaaaaaaaaaaaaaada
:)

Thais said...

ai que lindo!!! não sei que tipo de flor estou segurando agora...mas ela me machuca as vezes..mesmo sendo linda