sexta-feira, 20 de junho de 2008

"Nascemos príncipes, e a educação faz de nós sapos".

Hoje estou aqui pra falar uma coisa bem séria pra alguém bem sério. Sendo mais específica, estou aqui hoje pra mandar ir se foder essa coisa séria. Essa coisa séria chamada (ARGH!): Maturidade!

Hoje estou aqui pra mandar a tal da "Maturidade" se foder. Estou aqui para mandar a tal da "Maturidade" tomar em seu cú velho e responsável.

O povo às vezes confunde maturidade com ser sem graça e "adultinho". O que porra é ser "adultinho"? O que porra é ter "maturidade"?

Olha vou contar um caso aqui e não vou citar nomes porque não quero ninguém enchendo meu saco depois.
Eu tinha um melhor amigo, daqueles melhores mesmo. Daqueles que a gente liga quando está atravessando uma rua pra dizer que está vendo uma mulher engraçada atravessá-la. Daqueles amigos que ficam até 1 hora da manhã com você ao telefone, falando besteira e contando piada, mesmo que tenha que acordar às 5 no dia seguinte.
Daqueles amigos que a gente abraça e beija na boca, sabe. Daqueles amigos que a gente liga chorando porque acha que está grávida do ficante que mal conhecia só porque a menstruação atrasou dois dias.
É, ele era esse amigo. Esse "cara legal" que toda mulher precisa ter em sua vida pelo menos uma vez.
Aí um dia o amigo, que era crente, conheceu uma mocinha de 35 anos, também crente, mas diferente dele, ela era virgem. E aí esse amigo foi me deixando pra lá, porque agora era tudo a crente, a crente, a crente. (Ciúmes meeeesmo, assumo!)
E eu fiquei puta mesmo, fiquei com raiva. Deixava mensagens no orkut dele só pra crente morrer de ciúmes, ligava pra ele quando eu sabia que a crente tava do lado. E a crente pegou birra de mim e dizia que eu era "atrevida!".
Atrevida, eeeeeeuuuu?
Qualquer um pra uma crente é atrevido se mostra mais do que as canelas e não tem bigode.
O tempo passou, muita coisa aconteceu, eu descolei um namorado e 2 anos depois, quando eu já tinha terminado com esse namorado, eu soube que meu super hiper melhor amigo casou-se com a crente.
"Como é que ele pôde se casar com a crente?" - gente, eu realmente pensei isso porque não é possível que ele se divertia com aquela crente mais do que se divertia comigo.
Mas aí é que entra o lance da maturidade. A crente é sebosa, feia, quadrada e flácida, mas tem maturidade!
E esses dias eu perguntei pra ele "Me responde uma coisa inconveniente e sincera? Quando você olha pra ela, você ainda olha com aquele olhar de apaixonado e pensa: Puts! Ela é a mulher da minha vida?".
E ele me respondeu docemente via MSN: "Tha...isso é paixão. Paixão acaba!! O que eu sinto por ela é amor. Casei com ela porque pensei: Ela é uma pessoa madura e legal o suficiente para passar a vida ao meu lado."
Foi aí que eu quis vomitar, e foi aí que eu realmente resolvi aceitar que eu sempre tive raiva do amor, que é insosso e sem graça. Foi aí que resolvi engolir a minha verdade, que eu que sempre escrevi sobre o amor, na verdade sou amante da paixão, intensa e sem limites, não do amor, que tranquiliza e dá paz. Paz é o caralho.
Não vejo sentido em viver tranquila com o coração em paz. Quero viver meus dias apaixonada com o coração queimando em brasa.
Eu não consigo entender porque alguém casa com alguém só porque a pessoa é madura e legal. Porra! É alguém que você quer ter pra vida inteira, e a pessoa SÓ é legal e madura?
Ele ficou 2 anos com ela, deveria pelo menos ainda estar loucamente apaixonado!
Eu realmente não penso em casamento, mas se um dia eu cometer essa infâmia, precisa ser pelo menos com o cara mais espetacular do mundo, que me faça rir, que me faça rir muito, que seja louco por mim, que me olhe com olhar de apaixonado todos os dias, que seja inteligente e incrível! E não me venham dizer que isso não existe porque existe SIM! E se não existir no meu caso, prefiro continuar solteira.
Maturidade é uma coisa, gente, mas viver com cara de cú como um adulto chato e responsável e com bigodes é outra.
Tem gente que confunde maturidade com ser sério, cansado e neurótico. Se for assim, quero morrer criança. Que graça deve ter casar com uma mulher que não faz birra, que não faz manha, que não fala besteiras, que não pede colo, que não faz dar risada, que não é serelepe?
Eu sou MUITO serelepe! E se eu tiver um marido eu também quero que ele seja MUITO serelepe, para que juntos possamos fazer coisas que até deus duvida.

Esse lance de "maturidade" deixa as pessoas mais chatas. Tenho uma amiga que antes era a serelepância em si, mas aí o tempo passou, ela descolou um emprego show, um carro, um namorado e...não é mais serelepe! Ela só ri das coisas que eu faço, mas fazer junto comigo não porque ela já é uma adultinha.

Quando as pessoas atingem a porra da "maturidade" elas evitam ser ridículas, evitam dar vexames, evitam correr em todas as direções, evitam abraçar o mundo e divertem-se falando coisinhas engraçadinhas no happy hour da empresa enquanto tomam um "drink" e comem uns petiscos. Elas evitam abraçar o mundo, elas evitam viver!

Sou ridícula, infantil e criançona glo-glo-glo, blu-blu-blu. Porque eu estou viva! Porque eu quero ser criança pra sempre! Meu tempo de ser ridícula é agora! E os adultos acham tudo, tudo ridículo mas são mais ridículos ainda porque abafam suas vontades e opiniões com medo de estragar a postura!

Conheci um cara muito especial que mora na minha rua mas por algum motivo não falo mais com ele, ele deve estar hoje com uns 55 anos ou mais, e é o cara mais crianção que já conheci. O cara mais sábio e mais crianção que já conheci.
Quando eu era pequenininha, ele me dizia: Thaisinha. Você é uma menina especial. Não queira ser adulta não! Ser adulto é uma bosta! Adulto é um bicho ruim.
E o Wagner era criança adulta. Adorava animais, brincava com as crianças na rua e as tratava como pessoas inteligentes que são, não como cachorrinhos estúpidos e fofinhos que não entendem nada do que a gente fala. Comia fruta do pé, tomava banho de chuva, beijava cachorrinhos filhotes na boca! Amei demais aquele cara. Ele com seus 40 e poucos anos na época, olhos azuis, cabelo louro acinzentado preso num rabo de cavalo, barba por fazer (ele sempre foi lindo demais.) e eu, como meus 9 ou 10 anos, tropeçando, ralando os joelhos na rua e deixando recadinhos de amor para ele na poeira do vidro da kombi amarela que ele tem até hoje, onde está escrito na parte de trás com tinta preta: "Nascemos príncipes e a educação faz de nós sapos".

Hoje eu sei o que ele quer dizer. E hoje vejo que eu e ele sempre tivemos quase tudo em comum.
Wagner, você é um cara especial. Às vezes a gente se cruza na rua e mal se olha...e eu nem lembro o porquê. A única coisa que sei é que você é a criança grande mais linda que eu já conheci.
A única coisa que sei Wagner, é que de tão criança que você é, você acaba sendo maior do que todos os adultos. E a única coisa que eu queria era voltar a falar com você, mas meu orgulho besta da adulta ridícula que ainda tenta sobreviver dentro de mim (mesmo que eu queira matá-la todos os dias), não me permite.

Sejamos serelepes, sejamos crianças.
Pelo amor de Deus, chega de mentira. Que saco!
Sejamos vivos!

23 Comments:

Lady Trinity R.E.M. said...

Graaaaaaaaaande Thais, essa muié me surpreende a cada dia, concordo com tudo que ela disse, não podemos perder o frescor da infância! É isso que a maioria de nós faz, mata a criança dentro de si, e aí tudo fica uma bosta, eu tenho um namorado loco de pedra, tão loco quanto eu e estamos super feliz, seremos lépidos e faceiros pra sempre, vamos gritar dentro do carro o nosso amor, as vezes cantamos música brega no meio da rua, rimos que nem locos e sem um dia tivermos filhos, pode ter certeza continuaremos sendo locos de pedra, hahaha, não quero a seriedade chata e brega de um adulto! Viva a infância!

Thaty said...

E viva a minha coleção de bichos de pelucia!!!
\o

Adoreeeei!
:*

Fron said...

Já comentei que seu texto é envolvente? É sincero, assim como vc, que não tem medo de falar o que pensa ou o que sente.

E quem nunca desejou voltar a ser criança?

beijos!

Tha Basile said...

Ih, amor. Vamos por partes.

Primeira> Sejamos mesmo crianças. Mas nem todo mundo que um dia já pensou assim, tá excluído de virar um babaca sem autenticidade.

Segunda> A paixão é feita essencialmente de surpresa. A surpresa do novo, do que se vai descobrindo, a novidade mesmo. O corpo, o cheiro, o sexo, a roupa, tudo novo e diferente, vc se arrumar pra ele e vice-versa.Só que o tempo é o senhor de tuuuuudo.
Quando se começa a acordar, sair junto e voltar pro mesmo lugar juntos, um pouco da surpresa se perde. Mas a paixão do amor, de querer estar com alguém, do cheiro, da pele, isso continua. Tá muito claro que ninguém vai conseguir olhar pra mim a vida inteira com cara de arrebatamento, de paixão visceral.
E nem é isso que eu quero.

Tem dia que ele é mais meu amigo. Tem dia que ele é mais meu amante. Tem dia que ele é mais um irmãozão.E todos os dias, ele é o cara que me faz rir e que ri de mim. Autênticos.

E a vida continua com as suas ondas, e a gente surfando de jacaré nela (pisc).

Beijo procê!

Thaís SBA said...

Ah Tha, é por isso que não quero casar, pq nao quero que tudo fique sem graça hahahaha!
E quando eu for uma velha pelanquenta vou estar cercada de cachorros lambões, pintando quadros! :D

Ta eu falo isso até que eu me apaixone de novo...Hahaha como se eu nao me conhecesse e não quisesse casar em janeiro desse ano hahaha!

Bjus Bjus

Tha Basile said...

EEEEEITA NÓIS...RS

Sabe, eu não troco a minha mistura de paz e amor por NA-DA.

BEIJO GURIA!!

Mary West said...

Opa! Ótimo texto e cheio de coerencia, vc escreve muito bem ó! Tb muito detesto pessoas que simplesmente mudam da água para o vinho, do nada se acham os melhores e maiores e talz, mas quem muito sobre um dia cai naum é verdade? :D

Thais said...

eu conheço esse cara...ele nao tem uma bicicleta???

tha, seja essa criança sempre, pq eu virei adultinha chata...

O Profeta said...

De pequena poça fiz um universo
Feito de sete estrelas do mar
Murmurou-me um búzio ao ouvido
O rumo para te encontrar


Boa semana


Mágico beijo

Raquel said...

O importante é conciliar as coisas. Quando estava à procura de alguém, o primeiro quesito em minha lista era maturidade. Mas não nesse sentido pejorativo que apontas em teu texto. Maturidade para discutir assuntos, para assumir erros, para manter um diálogo. Sim, isso é importantíssimo. Por mais delicioso que seja ter o lado infantil aflorado, há momentos que precisamos agir com a razão, deixando o impulso pueril de lado.
Sim, é possível manter o coração em chamas ao lado de alguém ponderado. Eu vivo uma situação assim nesse exato momento. Ate porque não somos chatonildos e politicamente corretos. Sentamos para conversar, mas ao sair, roubamos colheres da cafeteria e corremos (isso é verdade hahaha)
Enfim, há momentos e momentos.

Gostei daqui!
:*

Anônimo said...

Ah Thais...concordei qto a ser criança...mas preconceito pela religião não tá com nada né...ninguém deve medir o caráter de ninguém através de suas crenças, gostos musicais, time de futebol, nada assim né...e crente não se choca se mostrar o tornozelo, e nem todas tem bigode...ciuminho do amigo vai...preconceito não né flor...

Thaís SBA said...

Oooo beleza....pq o anonimo não se identifica, pelo menos pra eu saber pra quem to respondendo?

Ciuminho nada...ciumão mesmo...e preconcieto sim senhor ...aliás, não é nem questão de preconceito, é questão de opinião...
Preconceito todo mundo tem, mas poucos tem a coragem de falar sobre ele num país tão super liberal e descolado.
Prefiro ser taxada de preconceituosa do que fingir que tenho opiniões diferentes das minhas só pra não irritar ninguém.
Muita gente me irrita nesse mundo e ninguém se importa se vou me ofender ou não, portanto faço questão de deixar aqui o que penso, parecendo preconceituosa ou não. Paciência se nem todo mundo gosta ou concorda.

de vendetta said...

o que você chama de serelepe eu chamo de sapeca...

o sapo que tem dentro de mim que é serelepe...

Anônimo said...

Ok Thais.... Sou Tatiane, tenho 27 aninhos, crente, e nem por isso sou gorda ou feia, pelo contrário... tenho orgulho disso, gostava mesmo deste blog, mas acho q ser leve e feliz não é ser mimadinha...o espaço é seu, vc diz o que quer, só q deve aprender a colher respostas positivas ou não...abriu espaço pra comentários, aí está. E não se preocupe, não apareço mais nem pra ler, nem pra comentar....

Thaís SBA said...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thaís SBA said...

Ué, Tatiane, desde quando "devo aprender a colher respostas positivas ou não"? Eu aceitei seu comentário, se não tivesse aceitado teria no mínimo apagado.
O fato de eu te responder e assumir que essa é a minha opinião e que eu realmente senti ciúmes te incomoda? Você acha que eu deveria bater boca com você por acaso?
Sou mimadinha mesmo, assumo, não gosto do jeito que os crentes cuidam de sua aparência mesmo e assumo (existem exceções), mas se minha opinião te incomoda paciência.
Agora, se você vai deixar de vir ao blog que tem mais duas escritoras que jamais tocaram nesse assunto só por causa de um texto que eu escrevi e você não gostou, infelizmente quem perde não somos nós, é você.

Andressa. said...

Boaaaaaaaaaaaa! (Y)
Um vivaa a nós criaaanças!!!
\o/

Marcela ツ said...

Thaisss lindona!
Estou te indicando 3 selinhos la no infinito nesse momento, ok?
Passa lá pra peegar =]]]
Saudades!
Beeeijo

Marcela ツ said...

Aliás, indicando as três tarântulas, neh? =P

Marcela ツ said...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcela ツ said...

Ensino siiiim!
Vc salva as imagens. Então faz um post como o meu, dizendo quem te passou e indiando mais 5 pessoas que vc acha que mereçam receber os selos (postando as imagens).
Ai, se vc quiser, vc os coloca fixos na pagina, onde ficam os links e td mais..
Entendeu? ;)

PS: acho q nao mencionei isso, mas gostei demais desse texto

Sarko said...

Théis!!!

Meu que lindo o texto até chorei no final, parece cena de filme o Wagnão lá com sua Kombi amarela e a criança escrevendo no vidro sujo... o adesivo. Lindo!!!

Nossa curti muito porque me identifiquei sabe?! Sabe sim, me conhece e sabe o quanto eu to pouco me fodendo pra essas coisas de maturidade, até hoje meus pais me cobram isso, brigam, falam um monte que eu preciso crescer aquelas conversas.

Não é você ter ou não a criança dentro de você que vai interferir em suas responsabilidades profissionais, sua postura em um jantar chique e etc.

Não vou deixar de dar gargalhadas super escandalosas como sempre dei, não vou (confesso) deixar de passar vontade de ir ao shopping e querer entrar naquelas piscinas de bolinhas com tubos que as crianças parecem hamisters dentro entre tantas coisas boas como raspar panela de brigadeiro, se lambuzar tem coisa melhor?!

Ah e uma observação: mande esse texto pro Wagnão certeza que ele vai chorar feito criança por favor quero ver o final feliz dessa história!!!

Abaixo a maturidade besta e chata!!! Sejamos felizes sem moldes! Crianças do mundo uni-vos!!!

Bjusss dna. Théis te adoro!!!Perfeito!

Kiss /:^)

rodrigovargas said...

quero ter maturidade suficiente pra me lambuzar de tinta com meu filho e rir do seu primeiro porre. maturidade pra escolher um emprego que seja a minha cara, não que eu tenha que me adequar a um padrão pré estabelecido. maturidade pra rir dos problemas, pra conhecer coisas novas, pra falar merda e gargalhar de coisas bobas. maturidade sem perder a essência

acho q o lance é esse, o mundo tende a nos tornar sempre mais chatos e burocratas, homogeneizando tudo, sejamos a resistência!

felizes são as crianças e os idosos que a sociedade dá um aval para serem eles mesmos