segunda-feira, 19 de maio de 2008

Uma história sobre buracos negros, estrelas e cachorros bravos.

(...) Deus, não sei mesmo o que é você direito, não sei se é homem, mulher, se é rosa, se é azul, se tem cor, se tem cheiro, se usa sandálias ou se parece um mingau, um ser humano ou uma gelatina. A única coisa que eu sei é que você existe e que as pessoas costumam te pedir coisas. Talvez pedir as coisas para você seja um erro, talvez seja uma idiotice de humanos carentes que precisam se apegar a algo para que não se atirem de uma ponte.

E talvez eu esteja cometendo uma tremenda insanidade agora, mas a questão é que se você realmente atende a alguns pedidos (não sei se você usa os métodos de sorteio ou sei lá) eu te peço uma coisa: Se você puder atender a esse meu pedido, não permita que eu escute aquela pergunta de novo de outra pessoa. De coração mesmo! Isso enche o saco! Não quero encontrar outra pessoa cujos olhos me fazem a mesma pergunta, ainda que não verbalmente! Isso realmente é um atraso de vida.Pronto! Pedido feito.

Quando eu era pequena minha mãe falava que as pessoas que riam de mim na escola tinham inveja de mim.
E eu falava: inveja do que, mãe? Eu não tenho nada de especial.Aí a gente cresce e vê que no mundo pouquíssimas pessoas são especiais. Porque o máximo que elas fazem hoje em dia é serem legais e falarem as coisas com veemência para provarem que têm personalidade, mas como dizia Nietzsche (vou parar com essa idiotice de citar filósofos porque dá um ar cult que eu não tenho), a pior inimiga da verdade não é a mentira, e sim a convicção (ou algo assim). Em todas as pessoas super legais que conheci, acabei descobrindo em pequenas atitudes menosprezadas pelos outros, falhas de caráter gigantescas! Isso só nós duas entendemos...conhecemos muito de uma pessoa pelo simples jeito de ela respirar quando fala uma palavra. Percebemos grandes buracos negros dentro do coração de uma pessoa pelo simples jeito de ela movimentar os olhos quando diz uma palavra sequer.

Detalhes que mostram falhas tremendas de caráter.E neste caso, não posso dizer que eu não sabia. Eu sabia.Não fui enganada 100%. Eu que me deixei enganar porque quis. Eu quis encobrir os erros com a idiotice da esperança infundada.

Eu sabia de tudo. E a única coisa que me surpreende é o fato de que eu estava certa o tempo todo e não a veracidade da situação em si. É o mesmo que "Uau! Eu sabia que choveria canivetes hoje e que essa merda ia me cortar a cara!" em vez de "Uau! Está chovendo canivetes hoje e essa merda tá me cortando a cara!". Eu sabia o tempo todo que ia chover canivetes e que eu poderia correr um sério rico de ser ferida, mas ao invés de sair correndo, permaneci ali, esperando acontecer.

Que tipo de idiota faz isso? Que tipo de idiota põe a mão no fogo sabendo no fundo que vai se queimar? Eu mesma respondo: uma idiota apaixonada.
É isso. Pela minha vida encontrei muitas pessoas legais. Mas e daí? Quem disse que eu me importo com pessoas legais? Quase todo mundo nesse mundo é legal. E só. Não quero estar rodeada de pessoas super legais na minha vida e que não me servem pra absolutamente nada, nem pra jogar conversa fora. É...só legal, como tantos outros, só é legal...mais nada.

Absolutamente mais nada. Legal...como a maioria das pessoas que fodem com tudo e com todos. E agora rindo enquanto lembro de algumas situações e atitudes, complemento: inclusive com si próprios.
Menos mal que o corte do canivete não cortou tão fundo e me rendeu mais risos do que lágrimas. É o mesmo que cortar meus pulsos e esperar que sangre na outra pessoa.

As pessoas mais especiais que conheci, não fizeram parte da minha jornada.Foram pessoas que conheci talvez por pouquíssimos segundos mas que me disseram uma palavra que valeu a pena.Foram pessoas que me deram aula por uma semana, um mês, e que sabiam meu nome, mas nada sobre mim.Vizinhas que moravam ao lado de casa quando eu era bem pequenininha e hoje se apagaram no tempo. A Adelaide, que vivia brigando com a filha, Daniela, e que me chamava de "minha princesinha."Tem também a Dalva! Eu nunca vou me esquecer da Dalva. Ela também morou na casa ao lado antes da Adelaide.A Dalva tinha um quadro lindo dela de bailarina ainda quando era novinha. Lindo o quadro. Eu amava a Dalva.

E sabe aquelas estrelinhas que a gente comprava na papelaria pra levar pra escola? Uma vez eu entreguei uma estrelinha pra mãe dela e disse:-Olha, dona Alda! Entrega pra sua filha. Diz que é uma estrela que nem ela. Uma estrela Dalva!Eu lembro também que tinha o tio da van que levava a gente. O tio Sérgio. Ele tinha um cavanhaque e eu pedia pra ele me dar uns pelinhos do cavanhaque dele de lembrança. Ai meu Deus!Aí ele puxava os pelinhos com a mão e me dava. Eu chegava da escola, subia no quintal de cima e gritava o nome da Dalva, que vinha com toda a paciência do mundo:"Dalva! Você pode guardar essa barba do tio da escola? Ele me deu de presente e eu não quero perder. Guarda pra mim?"E ela guardava. Meu Deus! Ela guardava as barbas do tio da van que eu dei pra ela inúmeras vezes.Pessoas especiais. Pessoas especiais que passaram pela minha vida.Hoje, o brilho da estrela Dalva continua brilhando, mas fraqueja por causa de um câncer que se desenvolveu por causa do cigarro.

Ah, estrela! Nesse aspecto você foi burra demais. Poderia estar brilhando linda até hoje, do jeito que brilhava há 10 anos atrás!Pessoas especiais ainda trilham comigo o meu caminho, me trazendo lições valiosas no dia a dia.
Por sorte, ou milagre ou merecimento, tenho na minha vida pessoas que fazem valer a pena.As outras, não passam apenas de pessoas legais.Mas lembrando que assassinos também podem parecer legais. Pessoas cruéis também podem ser legais. Políticos ainda mais podem parecer legais em épocas de campanha.Pessoas legais e engraçadinhas. Verdadeiras hienas que comem merda e depois dão risada.

É só isso que vejo.Não consigo enxergar no mundo algo além disso. Aliás, mal consigo enxergar o mundo por conta disso.E é exatamente por isso que não me interesso pelas pessoas. É exatamente por isso que não me importo com o jeito que saio na rua. Eu mais do que ninguém sei que as pessoas realmente me pesam e me cansam.Pouquíssimas delas me divertem, me distraem e me extraem um sorriso quando apenas vejo passarem pela rua.

É o meu instinto indolente que cresce, porque se faz necessário. Sou reles, mas não a mais de todas (portanto não tão reles), e isso é que me faz indolente. Ainda com a consciência de que quanto mais sei, menos sei, tenho em mim essa indolência que me deixa um pouco a parte disso tudo. Um riso blasé pela leviandade das pessoas super legais que povoam o mundo. Um riso blasé amargo que pede um cigarro para ficar ainda mais blasé, mas deixa pra lá porque ainda me considero uma garotinha de princípios.

Costumo me interessar por seres humanos, mas a única coisa que tenho visto ultimamente são apenas seres.
O ser (humano ou não) é algo incrivelmente maravilhoso quando admirado de longe. Chega até a ser bonitinho, engraçadinho, cuti-cuti.Mas cuidado ao tentar cuidar de um deles. Pode ser muito, muito perigoso.

9 Comments:

Tha Basile said...

às vezes eu realmente prefiro cachorros.

Thaty said...

concordo, eu, por exemplo, sou bem perigosa, whahaohahah!

hauhauhua...
e concordo com a tha b. tbm, quanto mais conheço os humanos, mais gosto dos cães - clichê!

:**

M. said...

Ai menina, só vim dizer que eu tb não gosto do Lula, mas amo que leiam meu blog. Obrigada!
O seu tb é muito bom! Parabéns.
bjs

Thiago Quintella said...

No buraco negro da situação, vale busca a luz que está se esvaindo pela paixão excessiva. Não é fácil.

Grazi Sperotto said...

No decorrer da vida a gente encontra e desencontra pessoas. Mas se elas ficam guardadas no coração é pq não passaram em vão (até rimou, hehe)
bons encontros pra vc!
bjão

Thais said...

Cada dia mais me decepciono com as pessoas, mas o que me faz ter esperança é saber que existem pessoas como você na minha vida, especiais de verdade.

Ane Talita said...

(sem folêgo depois de ler este texto!)

beijo!

Marcela ツ said...

Cara, que saudade de vc, Thais!!!
Td bem?
Muito obrigada pelo comentário no Infinito, gostei das suas palavras =]
A coisa que mais me chamou a atenção aqui hoje foi o titulo do post. Depois, qnd li, notei que vai muito além de um título!
Adorei! E acho q eu tbm prefiro cachorros =P

Bom final de semana pra vc!
Beeeijo

Vorenus... said...

Os pequenos detalhes, as besteiras... esses fazem sentido e ficam...

Gosto das suas palavras que fazem sentido...

Beso querida...